segunda-feira, março 17, 2008

Não quero falar de...

Não quero falar de outra coisa: precisava saber onde habitar com você, onde pousar minha cabeça tão cansada, sem lhe onerar os passos. Não quero falar de outra coisa: precisava, mas precisava mesmo, entender você, entender suas razões (nem todas, é claro). Não quero falar de outra coisa: precisava entender por que você liga pra mim, quando eu já lhe disse que nada tenho a lhe oferecer... exceto essa minha tentativa de estar presente em seu mundo (em parte dele, pelo menos). Diante de nós dois, dos nossos passos, o Tempo abriu uma fratura... podemos então ser nesta breve duração - o proibido agora é nosso, vamos?

Um comentário:

iucha disse...

Há um ombro feito de luzes,
pra tua cabeça repousar,
uma cadeira de suaves rimas,
aonde te aconchegares ...
e na cama macia de ilusões momentâneas,
"ouvindo" um beijo teu até quase sufocar...
Tu me "dirás" também um longo abraço...
(sexo tântrico?)...

o sal da boca fere os lábios
lábios frios na noite ,
à espera dos teus,
*beça-me mucho,
oh beça-me mucho,
Na pele corisca arrepio de
réptil...