terça-feira, julho 04, 2006

Autoconfissões...
Quantas raízes assim profundas terão sido reviradas ao sol, nem eu sei... mas hoje, sinto o peso delas em minhas costas...

2 comentários:

Mhelena disse...

Ah!! eu ficaria dias, dias e dias lendo o que você escreve. Parabéns, querido poeta, pela página tão bem idealizada.
Abraços poéticos
Maria Helena Sleutjes

lilian reinhardt disse...

Sulcos profundos escavam poços e minas,arrancam das funduras as brotações das águas...o peso do pote... Um abraço