sexta-feira, março 09, 2007

Estado de amar, estado de ser

Quando a gente ama, sente prazer intenso, gozo intenso, é nesse quando que a gente é doido? Isso é a loucura? Uns dizem que sim, mas eu acho que não! Amando, tendo prazer a gente fica sem préstimo para o mundo, por isso, o mundo chama de doido quem está amando. O mundo é doido — eu lá quero ter préstimo pro mundo?! Sou tributável, localizável; exigem trabalho de mim, como seu fosse boi carreiro — e sou? Sou não, sou não... ou antes, só quando estou amando é que não sou boi carreiro do mundo; nem tributável, nem localizável, nem ferrável. Quando estou amando, eu sou eu, estou próximo de mim, toco minha essência, entrelaço com quem me ama... crio asas...

Um comentário:

Flavinha disse...

Que isso nunca aconteça.Beijos.